segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Sport Club Corinthians Paulista, "seu João" e a arbitragem...



Eu tenho dois escudeiros de total confiança:
1-      Renato de Oliveira, taxista que me leva para todos os cantos, pai das lindíssimas Emely e Luna, um bebe rechonchudo, que é são-paulino persistente. Ainda considera o Rogerio Ceni o maior goleiro do mundo em atuação;
2-      João Batista Santos Silva, meu valet a moda antiga, dono de um incrível cão misto de mini poodle e outra raça pequenina que se acha um verdadeiro rottweiler. “ Seu” João é corintiano roxo, tanto que chama o Timão de “minha seleção”.
Estava eu em meu gabinete quando o respeitoso e educado “seu” João entrou falando:
“ Seu Jorge, eu não tou gostando”.
Não tá gostando de que “seu” João?
“ Dessa coisa de beneficiarem a ‘minha seleção’ com a arbitragem”.
“ É claro que ELES querem que a ‘seleção’ ganhe para aumentar a renda dos jogos, e assim o Timão pagar as suas dívidas, mas isso não tá certo não”.
“ Tem que ganhar na bola”.
 “ Isso é coisa do Andrés Sanchez, e eu não tou gostando”.
“ Não tou gostando nada disso”.
E saiu como entrou, falando e resmungando sobre a “sua seleção”, o Sport Club Corinthians Paulista.
Fiquei pensando:
Como é sábio o “senso comum”.
Jorge Eduardo Fontes Garcia
São Paulo,17/08/15

Nota: Senso comum ou conhecimento vulgar é a primeira suposta compreensão do mundo resultante da herança fecunda de um grupo social e das experiências atuais que continuam sendo efetuadas. O senso comum descreve as crenças e proposições que aparecem como "normais", sem depender de uma investigação detalhada para se alcançar verdades mais profundas, como as científicas.