sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Após golaço, Gabriel Jesus pede: “Futebol brasileiro precisa voltar”-

Após golaço, Gabriel Jesus pede: “Futebol brasileiro precisa voltar”- Mais ele é muito novinho para fazer tal comentário, nunca viu tal ‘bom futebol’ que ele fala, lhe falta credibilidade para isso.



Revelação da base palmeirense chegou a ficar no banco de reservas no início da temporada, mas atuação diante do XV de Piracicaba deve manter atacante no time principal
Gabriel Jesus selou a vitória por 4 a 1 sobre o XV de Piracicaba, nessa quinta-feira, dominando um belo lançamento de Robinho e encobrindo o goleiro. O golaço fez o jogador de 18 anos, em sua segunda temporada profissional pelo Palmeiras, mostrar que é hora de retomar a qualidade do futebol brasileiro.
“É como sempre digo: o futebol brasileiro tem de voltar. Não estou nem falando que foi um golaço, mas precisa improvisar. O Robinho está de parabéns pela bola que me deu. Ele teve categoria imensa para me deixar na cara do gol, dominei, vi o goleiro fora do gol e toquei por cima”, comentou o atacante.
O lance prova que o atleta, autor de outro gol na partida ao dividir com a defesa na pequena área, superou a má fase dos primeiros jogos no ano, quando chegou a ficar no banco de reservas. Gabriel Jesus já tem quatro gols em 2016 e vem agradando ao técnico Marcelo Oliveira.
“É um bom jogador, todos sabem o seu potencial. Isso não o impede de tirá-lo para testar outro e ele descansar e treinar para voltar com tudo. Mas fez dois jogos muito bons, como esperamos. É tático voltando para marcar lateral, só que é agudo e tem muita categoria, como mostrou fazendo um gol de jogador digo de jogador até mais experiente”, aplaudiu o treinador.
“Futebol é momento e oportunidade. Comecei a temporada como titular e deixei a desejar, mas tive a oportunidade de voltar. O futebol é muito dinâmico e estou sempre trabalhando, focado, firme e forte. Posso aprender muito não só como titular”, declarou Gabriel Jesus, reforçando que não se incomoda nada com a função de voltar para marcar o lateral adversário.
“Desde a base, isso nunca me incomodou. Sempre gostei desse jogo intenso e dedicado, e me fortaleço ainda mais para parar de ter cãibras, como vem diminuindo pelo trabalho muito bem feito por todos os envolvidos. Eu não conseguia no início por falta de ritmo, mas venho sempre treinando forte e estou bem hoje para isso”, comemorou.