segunda-feira, 17 de agosto de 2015

ATLÉTICO-MG PERDE PARA A CHAPECOENSE E VÊ CORINTHIANS ABRIR VANTAGEM - roubado pelo Apoti e seus comparsas, os árbitros.



Apoti um jogador desonesto que deveria ser expulso do futebol nacional.

Em apenas três rodadas o Atlético perdeu a liderança do Campeonato Brasileiro para ficar quatro pontos do agora líder Corinthians e dividir a segunda posição com o Grêmio. Tudo por conta de uma nova derrota, a segunda seguida do time na competição. Dessa vez para a Chapecoense, por 2 a 1, na Arena Condá.
Jogo marcado por vários erros individuais dos atleticanos, como de Dátolo e Pedro Botelho, nas jogadas que originaram os gols dos catarinenses. Mas partida marcada também por queixas contra a arbitragem. A expulsão de Leonardo Silva, ainda no primeiro tempo, e uma possível mão na bola de Apodi, no lance do segundo gol, geraram muitas reclamações dos atleticanos.
Mas o fato é que já são três jogos sem vencer pelo Brasileirão. Portanto, nada melhor do que uma pausa, para enfrentar o Figueirense, pela Copa do Brasil, antes de voltar a pensar na principal competição nacional. Palmeiras vai ser assunto somente a partir de quinta-feira.
FICHA TÉCNICA
CHAPECOENSE 2 X 1 ATLÉTICO-MG
Data: 16/08/2015 (domingo)
Horário: 18h30 (de Brasília)
Motivo: 19ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Árbitro: Marcos Andre Gomes da Penha (ES)
Auxiliares: Fabricio Vilarinho da Silva (GO/FIFA) e Danilo Ricardo Simon Manis (SP/ASP-FIFA)
Cartões amarelos: Elicarlos, Wagner, Neto e Dener Assunção (CHA) Luan e Victor (CAM)
Cartão vermelho: Leonardo Silva (CAM)
Gols: Cléber Santana aos 40 min do primeiro tempo; Neto (contra) aos 18min, Apodi aos 32min do segundo tempo
CHAPECOENSE
Danilo; Apodi, Neto, Vilson e Dener Assunção; Elicarlos, Gil (Maranhã, aos 30 do 2º) e Cléber Santana; Ananias (Wagner, aos 21 do 2º), Tiago Luis (Camilo, aos 21 do 2º) e Bruno Rangel.
Técnico: Vinícius Eutrópio.
ATLÉTICO-MG
Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Jemerson e Pedro Botelho; Rafael Carioca, Leandro Donizete (Dodô, aos 17 do 2º), Dátolo, Luan (Josué, aos 30 do 2º) e Guilherme (Edcarlos, aos 42 do 1º); Lucas Pratto.
Técnico: Levir Culpi.
1º Tempo
Como de costume a bola ficou mais nos pés dos jogadores do Atlético do que dos adversários. No entanto, assim como aconteceu na rodada anterior, contra o Grêmio, pouco o time alvinegro conseguia criar. Acabou punido por um erro de Dátolo, que errou o passe e Leonardo Silva teve de fazer falta em Ananias. O zagueiro acabou expulso e Cléber Santana bateu a falta duas vezes para abrir o placar. Só então o Atlético levou perigo ao gol de Danilo, aos 45 minutos, com Pratto, que finalizou para fora, depois de boa jogada de Marcos Rocha.
2º Tempo
Mesmo com um a menos, o Atlético permanecia com mais posse de bola e jogando no campo de ataque. Mas as melhores oportunidades eram da Chapecoense, que chegou com Bruno Rangel, aos cinco, e Tiago Luis, aos 14, mas Victor fez boas defesas. De tanto rondar a área rival, o Atlético chegou ao empate aos 18 minutos. Pratto ganhou da defesa depois da cobrança de escanteio e Danilo rebateu mal a bola, que pegou no zagueiro Neto e entrou. Dodô teve a bola da virada, aos 26, mas finalizou de forma displicente. O castigo veio aos 32 minutos, com gol de Apodi, que ajeitou a bola com a mão e aproveitou a falha de Pedro Botelho.
Mais polêmica
Depois de reclamar bastante de um pênalti não marcado contra o Grêmio, quando a partida estava empatada em 0 a 0, o Atlético deixa o campo se queixando da arbitragem mais uma vez. Leonardo Silva derrubou Ananias na entrada da área e o árbitro Marcos Andre Gomes da Penha entendeu que era lance para vermelho e expulsou o zagueiro alvinegro, mesmo com Jemerson já em cima do lance.
Voltou atrás
Não bastasse o vermelho para Leonardo Silva, quase o Atlético acabou prejudicado duas vezes no mesmo lance. O auxiliar Fabricio Vilarinho da Silva sinalizou que a falta do defensor alvinegro teria ocorrido dentro da área. Depois ele voltou atrás e confirmou que foi fora da área.
De novo, Dátolo?
camisa 10 do Atlético errou no lance que originou o terceiro gol do Internacional, nas oitavas de final da Libertadores. Erro que sacramentou a eliminação dos mineiros no torneio continental. Dátolo voltou a errar contra a Chapecoense. O passe ruim gerou o contra-ataque puxado por Ananias e falta cometida por Leonardo Silva.
Mais polêmica
Apesar da cochilada de Pedro Botelho, o segundo gol da Chapecoense saiu depois que Apodi levou a bola com a mão. O auxiliar Danilo Ricardo Simon Manis estava bem posicionado e mandou seguir o lance.
Victor, Atlético-MG
Não fosse o goleiro alvinegro, o segundo tempo teria sido ainda pior. Foram pelo menos três boas defesas e bom posicionamento para cobrir a defesa, que jogava adiantada.
Guilherme, Atlético-MG
É verdade que o meia do Atlético acabou sacrificado pela expulsão de Leonardo Silva e deixou o campo aos 42 minutos do primeiro tempo, para a entrada de Edcarlos. No entanto, o período que ficou no jogo ele pouco apareceu. Aliás, apareceu com mais erros do que acertos.
Dátolo, Atlético-MG
Mais um erro que custou caro ao time. Líder de assistências do Atlético na temporada passada, inclusive superando a marca de Ronaldinho em 2013, o argentino ainda não deu um passe para gol em 2015.
Pedro Botelho , Atlético-MG
O lateral esquerdo reserva foi um desastre. Errou cruzamentos, passes e falhou no segundo gol da Chapecoense. Além de perder uma bola dominada, ainda ficou no chão depois do corte de Apodi.