segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

ISRAEL - O PONTEIRO DE DEUS!!!! - autor: cafetorah.com


O Ano do Jubileu foi determinado por Adonai como um sina de divisão de tempos importantes para o Povo de Israel, onde era determinado que toda dívida fosse perdoada e todos os escravos fossem libertos, desta forma o Senhor preservaria a vida e a justiça entre os homens. Por causa da desobediência, o Povo de Israel e seus governantes foram banidos por duas vezes da Terra de Israel e durante estes processos o Mundo inteiro foi abalado, governos caíram, impérios se levantaram e outros foram dissolvidos. Será que após este ciclo de cinquenta nos estamos diante dos últimos dias?
A cada ano do Jubileu, ou seja, a cada 50 anos desde 3500 anos atrás quando a contagem foi ordenada, já se passaram 70 anos do Jubileu, veja a seguir os principais fatos que ocorreram a cada cerca de 50 anos nos últimos 1100 anos e chegue você mesmo as suas próprias conclusões:
2016 – Arqueólogos descobrem como era o do templo de Herodes e desenterram os inimigos históricos de Israel, os filisteus. A UNESCO rejeita a relação entre o Povo de Israel e o Mont do Templo em Jerusalém
1966 – 19667 – A Guerra dos Seis Dias, 5 nações se levantam contra o Estado de Israel e são derrotadas por intervenção divina, em 6 dias apenas Israel triplicou o seu território e re-unificiou Jerusalém tendo o controle total da Cidade Santa após 2000 anos de cativeiro
1916 -1917 – Auge da Primeira Guerra Mundial, Rússia e o Império Otomano aderiram e posteriormente quebraram, mais de 1.172.000 de judeus serviram em diversas frentes, principalmente apoiando os aliados. Em contra partida, os russos realizaram mais de 2000 atos violentos contra as comunidades judaicas no antigo império russo, o que levou a imigração judaica em massa.
1866 – 1867 – Primeira perda do império otomano para um líder cristão maronita no Líbano. Lei de direitos humanos aprovada nos Estados Unidos protegendo os negros. Os reinos da Itália e da Prússia formam uma aliança contra o Império Austríaco. Cuza havia unido a Roménia pela primeira vez em 1859 e tentou se preparar para a emancipação dos judeus. Ele foi sucedido por Ion Bratinau que, junto com seus irmãos, governou até a Primeira Guerra Mundial. Os 50 anos de seu reinado foi uma época de pogroms e perseguições de judeus conduzidos pelo governo.
1816 – Em 25 de abril de 1816, o secretário de Estado dos EUA James Monroe escreveu a Mordecai Manuel Noah, o cônsul americano em Tunis, informando-o de que estava demitindo-o de sua posição porque ele era judeu. No entanto, a verdadeira motivação para despedir Noah era por ele estar pagando resgate de reféns americanos capturados por piratas. Napoleão incentivava a emancipação do judeus.
1766 – 03 de agosto de 1766, é a data de nascimento de Aaron Chorin, que ofendeu alguns judeus como o primeiro rabino na Europa para convocar a modernização da lei judaica tradicional, antecipando o movimento da Reforma. Aaron Chorin nasceu na cidade de Hranice, Moravia, agora parte da República Checa.
1716 – 217 judeus foram mortos em Aleppo, na Síria, entre 1716-1946.
1666 – Em 1666 Sabbatai Zevi aboliu os dias de jejum que comemoram a destruição do Primeiro e Segundo Templos de Jerusalém. Ele disse que era o Messias que tinha chegado, no próximo ano o Templo de Jerusalém seria reconstruída. O anúncio assustou o sultão. Ele prendeu Sabbatai Zevi, o levou para a cidade de Gallipoli e ele ficou preso em um grande castelo. Ele se voltou novamente contra o Sultão que então, ofereceu a Sabbatai Zevi a escolha de converter publicamente ao islamismo ou ser decapitado. Ele acabou concordando em se converter e adoptou um novo nome de Aziz Mehmed Effendi.
1616 – Líderes de motim anti-judaico foram executados na Alemanha.
A oposição aos judeus foi finalmente cristalizado e encontrou expressão definida no estatuto da Lituânia repressiva 1566, quando os nobres da Bielorrússia e da Lituânia foram pela primeira vez autorizados a participar na legislação nacional. Parágrafo Décimo Segundo do presente diploma contém os seguintes artigos:
1566 – A oposição aos judeus foi finalmente cristalizada no estatuto da Lituânia de 1566, quando os nobres da Bielorrússia e da Lituânia determinaram o seguinte: “Os judeus não devem usar roupas caras, nem correntes de ouro, nem suas mulheres joias de ouro ou prata. Não terá acessórios de prata e punhais. Devem ser distinguidos por roupas características e devem usar bonés amarelos, e suas mulheres lenços de linho amarelo, a fim de que todos possam ter a possibilidade de distinguir os judeus dos cristãos “.
1516 – Veneza baniu seus judeus a um gueto, abominando a coexistência entre cristãos e judeus, o Senado veneziano separou-os mas também, assim, reconheceu a sua residência na cidade.
1466 – Ano do manuscrito de Antiguidades Judaicas de Flavio Josefo publicado na Polônia. Rei John da Sicília deu permissão formal para estabelecer uma universidade judaica em medicina e direito. A ideia não foi posta em prática, e em 1492 os judeus foram expulsos por ordem da coroa espanhola.
1416 – Judeus tentaram formular uma defesa contra os atos do Frade Vincent Ferrer que os obrigava a ouvir sermões dentro das sinagoga e forçava-os a se converter, caso contrário sofreriam uma série de punições e 100 chibatadas.
1366 – Judeus na Espanha sofreram um massacre, cerca de 8.000 morreram na guerra ou de fome. O rei de Castilla foi acusado de ser judeu e bastardo e posteriormente foi assassinado.
1316 – Louis X autorizou o retorno dos judeus para Nevers na França, Garcia Lopez intercedeu junto ao rei Alfonso XI para baixar as taxas impostas aos judeus no reino de Aragão, além disso, Alfonso permitiu que 30 famílias judaicas se instalasse em Alcañiz na Espanha. Em 1316, os judeus de Augsburgo eram muito afluentes, pois a cidade de Munique os hipotecou durante seis anos.
1266 – Os judeus foram vítimas durante a revolta dos barões em 1266 na Inglaterra. Novo papado em 1266 permitiu a Roger Bacon na Inglaterra estudar mais o Hebraico como idioma original da Bíblia, posteriormente ele foi condenado por seus escritos a quatorze anos de prisão. Na Alemanha em Cologne, sob a acusação de terem fornecido armas aos invasores mongóis e tártaros, a comunidade judaica teve que chorar a morte de mais doze mártires, incluindo o rabino Isaac Ben Simpson.
1216 – Morreu o Papa Innocent III, o primeiro papa anti-semita, humilhava os judeus e difundia o ódio contra os judeus, proibindo os cristãos de recebe-los. Por causa da perseguição do Papa, o Rabino Samson da França uniu-se a 300 rabinos ingleses e franceses e emigrou para Israel por volta de 1211 e por alguns anos viveu em Jerusalém. Yehuda Alharizi Imigrou para Jerusalém, ele era um sábio, tradutor, escritor e poeta, traduziu diversas obras, inclusive de Maimônades e poemas do árabe para o Hebraico.
1166 – Maimônides foi para o Egito e estabeleceu-se em Fostat, onde ganhou muito renome como médico, serviu também a família de Saladino e no de seu vizir Ḳaḍi al-Faḍil al-Bassami. Alfonso VIII rei de Castela, que tinha sucedido ao trono, confiou aos judeus sua guarda, e mais tarde, Mayorga, enquanto Sancho o Sábio de Navarra os colocou a cargo de Estella, Funes e Murañon.
1116 – O fuero, concedido por Alonzo el Batallador em 1116, e confirmado duzentos anos depois por Fernando IV, contém a promulgação: “Não se fará diferença entre judeu ou cristão em qualquer questão de julgar os danos de uma pessoa a outra.”
1066 – Com a queda e o assassinato de Joseph ibn Nagdela, que foi sucessor de seu pai como vizir na cidade de Granada, ocorreu um surto contra os judeus: suas casas foram saqueadas; E todos os judeus, exceto alguns que fugiram, foram mortos. Mais de 1.500 famílias judaicas foram atingida, com cerca de 4.000 pessoas que foram mortas em um dia, Ṭevet 9 (= 30 de dezembro), 1066.
966 – Cristianização da Polônia, outrora pagãos, os líderes da Polônia se converteram e muitos deles se batizaram neste ano, Mieszko I, o líder do país foi batizado em 14 de Abril de 966.
916 – O codex de St. Petersburg foi concluído neste ano, e ele inclui todos os livros do Antigo Testamento, atualmente está no Museu Britânico em Londres.
 http://www.cafetorah.com/ano-jubileu-sinais-profeticos-de-israel-e-um-alerta-para-todas-nacoes/