segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Cesar Cielo é bananeira que já deu cacho.



Cesar Cielo é bananeira que já deu cacho.
Não dá mais para ele.

Amaury Leavaux- livro (Foto: Reprodução)


Vamos ao noticiário internacional:
Em livro, rival francês ataca Cielo e diz que compatriotas usavam cocaína”.
“Na biografia "Sexo, Drogas e Natação", Amaury Leveaux insinua que brasileiro se dopava: “Toda vez que vai ao pódio em evento internacional, ele é vaiado por quê?"
O ex-nadador francês Amaury Leveaux, vice-campeão olímpico dos 50m livre em Pequim 2008 - prova na qual Cesar Cielo levou a medalha de ouro -, lançou na última quarta-feira, em Paris, sua polêmica biografia "Sexo, Drogas e Natação". Aposentado das piscinas desde 2013, o francês fez graves insinuações contra o nadador brasileiro, envolvido em um caso de doping em 2011, às vésperas do Mundial de Xangai, na China. No livro, Leveaux também ataca ex-companheiros de equipe da França, relatando uso de cocaína e denunciando supostas orgias durante as Olimpíadas de Londres, em 2012.
Com relação ao campeão olímpico Cesar Cielo, Leveaux questiona supostas vaias ao brasileiro em competições internacionais:
- Toda vez que ele vai ao pódio em um evento internacional ele é vaiado, por quê? Não está comprovado, mas todo mundo sabe - escreveu, em passagem transcrita pelo site francês "Orange".


Que assim termina:

Por meio de sua assessoria de imprensa, Cesar Cielo informou que não vai se manifestar sobre o assunto.

NÃO SEI SE O NADADOR CIELO USA OU NÃO DROGA, já que até na reportagem está escrito:
Em outro trecho - este destacado pelo jornal espanhol "Mundo Deportivo" -, Leveaux levanta suspeitas de trapaças sobre Cielo e outros nadadores:
- Quando penso naquele segundo lugar (em Pequim 2008), não é a derrota que me incomoda. O que me parece um problema é o comportamento de Cielo e de outros nadadores. Em várias ocasiões ele foi suspeito de fazer trapaças. Chamemos as coisas por seu nome, sem dar voltas em círculo: suspeitas de doping pesam sobre ele, mas não se pode acusar sem provas - prossegue o francês.
O brasileiro foi pego no doping em 2011 com o uso de furosemida, substância proibida usada tanto para perda de peso quanto para mascarar outras substâncias dopantes. Em sua defesa, Cielo alegou que houve contaminação cruzada durante a manipulação de um suplemento que ele sempre usou, responsabilizando a farmácia Anna Terra, de Santa Bárbara d'Oeste (SP), pelo ocorrido. O Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) manteve a decisão da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) e aplicou apenas uma advertência ao brasileiro, que pôde nadar o Mundial daquele ano, dois meses depois, onde levou o ouro nos 50m borboleta e 50m livre.
Alguns sites internacionais afirmam que Leveaux comparou o brasileiro a Lance Armostrong, ex-ciclista americano que assumiu uso de doping após vencer sete vezes o Tour de France.


Amaury Leveaux, vice-campeão olímpico dos 50m livre em Pequim 2008 

O que sei é que Cesar Cielo medrou no Pan de Toronto, que ele medrou no Mundial de Esportes Aquáticos de Kazan, na Rússia, com as mesmas desculpas de sempre, numa clara manifestação que quem quer manter o patrocínio, ou patrocínios, por mais um ano, já que esse é o tempo para o início dos Jogos Olímpicos de 2016, oficialmente Jogos da XXXI Olimpíada, mais comumente Rio 2016, e que no final fará feio, ou nem disputará nenhuma prova, deixando todos nas mãos, inclusive a esperançosa torcida brasileira.

Quem viver, verá.

Jorge Eduardo Fontes Garcia

São Paulo, agosto de 2015