quinta-feira, 2 de julho de 2015

No futebol brasileiro ninguém quer usar a camisa 24. Qual o problema dela?


No futebol brasileiro ninguém quer usar a camisa 24. Qual o problema dela?

Luiza Oliveira
Do UOL, em São Paulo

Os jogadores no futebol brasileiro não são mais escalados da maneira tradicional de 1 a 11. Os números estampados nas costas dos atletas se multiplicaram e se transformaram em número de jogos pelo clube e até homenagens à família. Mas o Campeonato Brasileiro tem uma camisa em especial que ninguém quer usar: a 24.
Na Série A do Brasileirão, a camisa é rejeitada. Apenas dois times têm jogadores que representam o número folclórico em seus elencos. No Cruzeiro, o dono da camisa é o terceiro goleiro Elisson. Já no Inter, é o lateral esquerdo Geferson.
Com exceção dos dois, os jogadores ignoram o número, mesmo nos clubes que estabelecem numeração fixa para o elenco.
Mesmo as escolhas de Elisson e Geferson têm uma explicação. A Copa Libertadores exige que a numeração dos inscritos para o torneio seja fixa e em ordem crescente. Então não tem como fugir do 24. No caso de Inter e Cruzeiro, os clubes simplesmente mantiveram o que havia sido determinado pelo torneio.
Já os outros times mudaram suas camisas para o Brasileirão. O Corinthians, por exemplo, teve Matheus Vidotto como o número 24 na Libertadores, mas no Brasileiro ele veste a 32. O mesmo aconteceu no Atlético-MG com o terceiro goleiro Uilson que agora também é dono 32. No São Paulo, o garoto João Paulo trocou a 24 pela 37, que havia sido do meia Lucas.
A camisa folclórica, de fato, pode gerar piadas e incomodar alguns jogadores. O goleiro Cássio, do Corinthians, foi campeão da Libertadores de 2012 com a 24 nas costas. Após um jogo do Brasileiro contra a Portuguesa, ouviu uma brincadeira do então repórter do CQC Felipe Andreoli sobre o simbolismo do número.
"Você trocou a camisa com o Dida por ser fã dele ou para se livrar da camisa 24 logo?'', brincou, na ocasião. "''Os dois, mas isso daí já está com os dias contados, o número 24 vai mudar já'', respondeu ele.
Insatisfeito com o número, Cássio pediu para vestir a 12 assim que o meia Alex foi negociado e deixou o número vago no elenco do Corinthians.

http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2015/07/02/no-futebol-brasileiro-ninguem-quer-usar-a-camisa-24-qual-o-problema-dela.htm?cmpid=fb-geral